segunda-feira, 21 de março de 2011

Rodoviaria de Caxias do Sul - Banheirão

Era um sabado de tarde e eu estava dando uma banda pela rodoviária, aquele banheiro normalmente ferve de gays e rola banheirão por la. Acendi meu cigarro e fiquei de boa sentado num daqueles bancos em frente as lojas de 1,99. Olhei para a porta do banheiro e tinha um homem me encarando. O cara aparentava uns 40 anos, era negro, forte com músculos bem definidos, e sua estatura era baixa. Vestia uma camisa social branca listrada e uma bermuda dessas de atleta, ele nao tinha nenhum senso de moda, mas parecia ter muito senso de sacanagem. Não sei porque mas aquele olhar safado dele me atiçou. Continuei ali fumando meu lucky strike e dando a maior bola pra ele. As vezes eu olhava e as vezes ignorava.. Ele se escorou contra a parede e ficou me olhando, ele levava consigo uma pasta preta que continham alguns papeis. Aos poucos e foi descendo sua mão até chegar no seu pau, com aquela mão calejada e com dedos bem grossos ele segurou seu pau e pude ver o volume que fazia naquela bermuda azul marinho. Fiquei inquieto, meu nível de putaria subiu a cabeca e logo senti meu pau crescendo na cueca. Tentei disfarçar mas nao consegui, ele colocou a pasta na altura da cintura para que as outras pessoas nao vissem e ficou acariciando o pau ali só para mim, eu quase desaprendi a fumar olhando para aquele safado pegando no pau ali do meu lado, fiquei meio assim pelas outras pessoas que se estivessem do meu lado poderiam muito bem ver o que o homem estava fazendo.O pau dele comecou a crescer e eu comecei a imaginar o que havia ali dentro daquela cueca, ouvi dizer que negros normalmente tem uns cacetes enormes e a curiosidade estava me matando por dentro.. Aquele homem não parava de massagear o pau e eu ali todo tenso querendo.. ele fez um sinal para mim entrar no banheiro.. pensei um pouco e entrei. Caminhei até a ultima cabine e percebi que ele veio atras, fui ao mictorio e finji estar mijando, ele veio do meu lado e tirou o pau para fora.. o pau dele era grosso, negro e com veias saltando, ele olhou para o pau, deu uma balançada e disse, quer dar uma pegada? ele percebeu minha vontade pelo meu pau que como instantaneamente ficou durão. Olhei para tras para ver se nao vinha ninguém e com vontade agarrei o pau dele com a mao, era macio e enchia entre meus dedos. Estavamos lado a lado em pe naquele banheiro. Assim que comecei a bater uma punheta pra ele, ele comecou a soltar uns gemidos grossos, cansados, bem de tiozão.. conforme eu ia massageando seu pau, percebia que crescia mais e mais. Foi quando ele me fez sinal para mim entrar em uma cabina.. eu falei: -calma ae.. com um tom de voz baixinho e ele disse: -entra la, to com maior tesão.. ENTREI. Ele vaio atras, fechou a porta e me mandou sentar no vaso.. não perdi tempo em abaixar aquele calcão e cair de boca mamando o pau dele. O pau dele era enorme e mal cabia na minha boca, eu estava me babando todo tentando engolir aquele caralho todo. Ele gemia e forçava o pau contra a minha boca, Ia alternando entre movimentos rápidos e devagar.. pegava seu pau na base e dava batidas na minha bochecha.. Derrepente ouvimos barulho de gente entrando no banheiro, ele mostrou mais excitação ao perigo e sussurrou baixinho, quer leitinho? começou a bater uma punheta violenta enquanto eu chupava sua bolas, eram grande e peludas, sentia aquele cheiro de suor de macho e ficava louco de tesão, passava minha língua nas suas bolas enquanto ele suspirava de tesão.. foi quando ele disse, -to quase!!!, abri minha boca querendo tomar tudo o que aquele safado ia me oferecer.. derrepente ele começou a se contorcer e falou com uma voz rouca -vou gozar.. e gemeu feito um cavalo enquanto jorrava aquela porra quente no meu rosto, foi em seguida que também gozei no chão do banheiro.. aquele leite se derramou pelo meu rosto enquanto eu olhava para a cara de satisfeito dele.. pegamos papel higienico e lavamos o rosto depois ali na torneira.Olhei para ele contra o espelho e ele não mudou sua expressão, mas mostrou-se muito satisfeito. Saiu antes que eu e não disse uma palavra.. Depois quando sai la para fora vi que o homem havia entrado na cabine de uma empresa de ônibus, e logo após saiu de uniforme e entrou em um ônibus que ia a Bento Gonçalves. Ele era motorista da companhia Planalto. Cruzei pela frente do onibus e ele fez sinal com a cabeça.. retribui ao comprimento e vazei dali.

Nenhum comentário:

Postar um comentário